Dermatite atópica e de fraldas

     É durante a infância que a maioria das alergias aparece. É uma doença frequente e atinge cerca de 20% a 40% das crianças. Entre as mais comuns estão a dermatite atópica e a dermatite de fraldas. Por serem parecidas com tantas outras doenças, os pais, muitas vezes, tratam seus filhos com remédios caseiros, pomadas indicadas por amigos, causando, assim, um atraso no tratamento e mais desconforto para o bebê. Isso é errado.

     O alerta é feito pela Dra. Lorena de Castro Diniz, especialista em Alergia e Imunologia pela USP-SP. Segundo ela, sempre que surgirem sintomas alérgicos, os pais devem procurar o médico para que possa dar um diagnóstico correto, bem como as orientações para melhorar a qualidade de vida de seus filhos. “A alergia aparece quando o sistema imunológico reage de maneira inadequada, tentando se proteger de uma substância que, na verdade, seria inofensiva. As crianças que têm histórico familiar são mais propensas a desenvolver o problema”, explica. Entenda um pouco mais sobre esses dois tipos de alergia:

Como identificar a dermatite atópica no bebê?

A dermatite atópica são alergias de pele que  podem causar erupções, manchas e intensa coceira, interferindo na qualidade de vida das crianças que, por consequência, tornam-se irritadas com comprometimento do sono  e até mesmo da alimentação. Os bebês que apresentam na pele bolinhas, vermelhidão, ressecamento, coceira nas bochechas, nos braços e nas pernas e ainda secreções nos machucados podem ser portadores dessa doença. 

O que provoca a dermatite atópica?

Também conhecida como eczema atópico ou infantil, a dermatite é causada por um distúrbio do sistema imunológico e ocorre dependendo do ambiente em que a criança vive. Bebês predispostos, que vivem em ambientes abafados, transpiram muito, acabam se coçando mais e podem, assim, iniciar uma crise. Outros fatores como fungos, alimentos e até desequilíbrios emocionais podem dar início às coceiras características da doença. Poeira domiciliar e banhos prolongados com água muito quente, presentes no dia a dia das pessoas, também podem desencadear a dermatite. Os primeiros fatores desencadeantes do eczema infantil são os alimentos introduzidos na dieta da criança e ainda outros aeroalérgenos, tais como poeira, mofo, ácaros, tempo seco e quente, agentes irritantes, como poluição, fumaça de cigarro e infecções, além de alguns medicamentos.

Qual a importância do diagnóstico e tratamento precoces?

O diagnóstico e o tratamento precoces são indispensáveis para deixar as crianças livres das inflamações. Para combater esse problema, dê um banho por dia na criança, se possível sempre com água morna; evite o excesso de sabonetes e o uso de sabão em pó e amaciante nas roupas, incluindo as de cama e banho; aplique hidratantes e procure um especialista para prescrever a medicação para aliviar a coceira.

A dermatite de fraldas é causada por uma alergia?

Fraldas fazem parte do cotidiano de todo bebê e quando o bumbum fica irritado e avermelhado no local coberto pelas fraldas, surge a dúvida: será uma alergia? Não, a dermatite de fraldas não é causada por alergia. Para entender melhor o problema, faremos algumas considerações: o uso da fralda ocasiona aumento da temperatura e da umidade local, com consequente maceração da pele, que se torna mais suscetível à irritação ocasionada pelo contato da urina e das fezes com a mesma na região coberta pelas fraldas. A maioria dos casos é benigna, acometendo crianças entre zero e dois anos de idade.

Como é o tratamento da dermatite de fraldas?

Toda pele que tem suas barreiras de defesa lesadas por qualquer mecanismo está sujeita à infecções secundárias. A dermatite das fraldas é comum e deve ser tratada adequadamente com medicação específica. O tratamento é baseado na higiene da área da fralda. Friccionar a pele no momento da limpeza e o uso de lenços umedecidos devem ser evitados, para não alterar a composição normal da pele, levando ao início das assaduras.

E quais são as dicas de prevenção da dermatite de fraldas?

As trocas das fraldas devem ser frequentes. Em caso de fraldas de pano, o sabão em pó e amaciante devem ser evitados na lavagem, é preferível o uso de sabão neutro (glicerina ou coco). O leite materno tem anticorpos que podem defender os nenês amamentados contra a infecção. Manter a pele limpa e seca, especialmente nas dobras e sulcos, e deixar a pele do bebê exposta ao ar fresco sempre que possível são algumas maneiras de prevenir a dermatite de fraldas.


Vamos Compartilhar ?


Comentários